Siga

December 18, 2018

December 12, 2018

December 5, 2018

Please reload

Posts Recentes

POR QUE NÃO SOU CRIATIVO? 2

June 24, 2019

1/10
Please reload

Posts Em Destaque

CAPTAÇÃO DE ALUNOS – PARTE 1/3

April 24, 2017

COLEÇÃO: MARKETING EDUCACIONAL

SÉRIE: CAPTAÇÃO DE ALUNOS – PARTE 1/3

TEMA: PROPAGANDA VS RELACIONAMENTO

 

Este é o primeiro texto da série “Captação de Alunos”, que compõe a coleção MARKETING EDUCACIONAL. Aqui falamos sobre o papel da propaganda versus relacionamento, e como eles se confundem e se misturam quando se aplicam ao universo escolar. Esse é um tema complexo e profundamente rico para os profissionais de marketing. Por isso, vamos percorrer essas veredas com o cuidado que lhe é devido. Boa leitura!

 

 

 

Resumo:

Vender ensino é um desafio complexo. A matrícula não se resume apenas numa assinatura de contrato. Quando um aluno entra pelas portas de sua nova escola, ele traz consigo expectativas, e cada uma delas está conectada às experiências que deseja viver durante a sua passagem por lá. E não se engane, essas experiências serão todas fruto de relacionamentos interpessoais, e a longevidade de sua passagem pela escola dependerá exclusivamente da qualidade das relações que estabelecer. Vendemos a escola para que as pessoas venham experimentá-la pessoalmente, dentro de nossos muros, por longos períodos, na esperança de aprender algo que mude as suas vidas, positivamente. Eis o desafio!

 

***

 

Escolas modernas usam um marketing sofisticado. As instituições de ensino aprenderam há muito tempo que precisam se comunicar bem para captar alunos. Poderosas ferramentas de publicidade já são usadas para vender a marca de várias escolas, e os melhores espaços de propaganda são disputados ferozmente por elas. Peças criativas, com imagens impactantes, somadas a belos textos estampam painéis eletrônicos em esquinas movimentadas, decoram a Internet e os intervalos comerciais, além de uma rica papelaria espalhada pelas ruas da cidade. As escolas entraram na briga pela atenção das pessoas. Mas, infelizmente, acredito que muitas delas se esqueceram do principal ativo de comunicação que pode revolucionar a forma como se relacionam com o seu público.

 

Escolas são o exemplo máximo de experiência no que diz respeito ao processo de entrega de valor e benefício para um cliente. Para usufruir o que comprou e a coisa funcionar, você precisa estar dentro de suas dependências, todos os dias. E a relação se estende ainda mais, já que sempre levamos trabalho para casa. Na assinatura do contrato, você compra o direito de se relacionar com uma instituição de ensino. Mas, não é tão simples assim. Claro que estou falando de escolas particulares, onde há muitos custos e também metas a serem batidas. Nesse cenário, desafios de vários tipos, principalmente os financeiros, se projetam sobre qualquer postura bem intencionada. E é nessa hora, nesse ponto nevrálgico, que as decisões pendem na fria direção de se manter o relacionamento com o público focado em planilhas bem formuladas, capazes de indicar as melhores estratégias de marketing.

 

Claro que soará piegas, mas não podemos esquecer que as pessoas estudam para realizar sonhos. Estudamos para nos realizar como seres humanos, para abrir portas e impedir que sejamos dominados pelas terríveis garras da ignorância, que sempre insiste em nos manter aquém da felicidade que buscamos. Mas, isso não justifica qualquer esforço ou estratégia para alcançar tal realização. Entre o primeiro dia de aula e o dia da formatura, vamos conhecer pessoas, fazer amigos, viver muitas e diversas experiências, muito além daquilo que aprendermos no quadro negro ou nos livros e apostilas que lermos. As relações com as pessoas, professores, equipe pedagógica, direção e colegas de sala são definidoras na história que vivemos dentro da escola. Se essa odisseia não for equilibrada e estimulada para o bem, forçosamente me fará revelar minha insatisfação em redes sociais, comentários negativos no intervalo, ausência, mal rendimento nos estudos e, consequentemente, abandono escolar.

 

Os desafios para os profissionais de marketing não estão limitados apenas às sofisticadas ferramentas de marketing e seus efeitos especiais. Há que se mergulhar na realidade da escola e entender os aspectos sociais que acontecem diariamente, e que definem a verdadeira voz da instituição. Antes de sair gritando aos quatro cantos que a minha escola é a melhor, preciso cuidar daqueles que já vivem aqui dentro, construindo a sua própria história, misturada com a nossa. Caso contrário, deliberadamente, eles mesmos sairão gritando aos quatro ventos, arrecadando curtidas e comentários, os quais não teremos o menor prazer em compartilhar.

 

***

 

O próximo texto da série “Captação de Alunos”, da coleção MARKETING EDUCACIONAL vai falar sobre como as instituições de ensino trabalham as promessas de campanha e entregam os valores e benefícios às famílias que escolhem deixar o futuro escolar de seus filhos sob seus cuidados. Aguarde...

Share on Facebook
Share on Twitter
Please reload